Maximizar - Otimizar
WalzScale 

12 fatores que as mineradoras estão considerando para melhorar a eficiência na gestão da frota 


Hoje em dia as empresas de mineração do mundo e do Brasil estão trabalhando em projetos de melhoramento continuo para gerenciar de forma mais eficiente sua frota de caminhões de estrada e fora de estrada. 

E para aquilo, Pesamatic, líder regional em pesagem industrial deseja ser um aporte. 

Nesse sentido entregamos uma orientação de 12 pontos, baseados em recomendações dos próprios fabricantes para aumentar a produção e eficiência de sua frota de caminhões: 

1. Maximizar carga útil: Para melhorar a carga útil em todos os seus caminhões, aumentar o fator de carga, recomenda-se contar com um sistema de pesagem e medição do volume de última geração, alias um eficiente gerenciamento suportado com um software de alto desempenho.

2. Seleção de balança: Definir seus sistemas de pesagem de forma adequada, já seja se estas serão balanças fixas, móvel, com plataforma completa ou por eixo. Baseado em uma correta seleção você poderá conferir seus atuais sistemas de pesagem on-board (embarcado) nos próprios caminhões os quais normalmente não asseguram bons resultados de exatidão. 

3. Precisão da balança: Um sistema de pesagem confiável deve estar submetido a testes regulares de nivelação de plataformas de acesso com erros não maiores a 1%, e, no caso de sistemas de pesagem por eixo, os testes de desempenho dinâmico não devem ser maiores a 2%.  

4. Medição de volume do material da caçamba: Através de um sistema leitor de escâner você pode perfeitamente obter o volume do material transportado, se a essa informação adicionamos a informação o peso da balança, permitirá a você conhecer a densidade do material transportado, o fator de carga, e subsequentemente como ele acomoda-se e distribui no momento de ser movimentado.

5. Software de última geração: Possuir um software de ultima geração que integre as informações do sistema de pesagem, do sistema de medição de volume e interage com o software de despacho e / ou de gestão é um fator chave de controle de melhoria continua. 

6. Determinar a tara real da sua frota: É importante compreender que a tara real do caminhão é equivalente à tara informada pelo fabricante mais uma serie de componentes adicionais que puderem ter sido incorporados posteriormente tais como, extensões de pára-choques, extintores, pneus de substituição, etc. Inclusive considera-se o peso do motorista e o combustível transportado. Lembre que uma boa gestão de controle de tara pode levar a maximizar a carga útil.

7. Regra 10 10 20 : A maioria dos fabricantes de caminhões orientam a cumprir que: não mais do 10% da frota pode exceder o 10% da meta de sobrecarga permitida, nenhum deles pode exceder o 20%, e a meia da distribuição da carga de todos os caminhões não deve exceder a metal total. 

8. Gestão de OPEX: Controlando que sua frota não rode com excesso de carga evitara o desgaste prematuro de pneus, amortecedores evitando assim excesso de HH em manutenção, etc. Pneus representam na maioria das empresas o segundo item mais caro de despesas da frota. 

9. Economia de combustível: Normalmente é o item número 1 de despesas dentro de uma frota incrementado desnecessariamente pelos quilômetros adicionalmente percorridos devido a que estes não são usados a plena carga, subutilizando assim este bem de capital. 

10. Seleção do local para efetuar o controle da frota: Considerando uma adequada logística para determinar o melhor local no percurso efetuado pelo caminhão com o produto transportado. 

11. Estudos de Pay-Back: A implementação de sistemas que envolvem alta tecnologia normalmente tem altos índices de classificação em termos de retorno dos investimentos.

12. Compromisso com o médio ambiente: As empresas hoje em dia encontram-se ainda mais comprometidas com as políticas globais de sustentabilidade, que dizer questão social - médio ambiental - econômica, alias com o controle de emissões de gases de CO² e particulados geradores de efeito estufa.